8 janeiro 2008 16 Comentários

O início da web 3.0?




web30.gif

No início, a web era marcada por sites estáticos, sem interação com os usuários. A primeira grande mudança na forma em que usamos a internet veio com a larga aplicação de sites de comércio eletrônico. Assim, a rede passou a nos oferecer produtos e serviços. Depois veio a fase dos sites de relacionamento e compartilhamento de conteúdos (web 2.0).

Esse cenário nos colocou em uma situação muito complicada: Como organizar a imensa vastidão de conteúdo que se tornou a internet, de forma simples, eficiente e focada em nossas necessidades?

A resposta para esta questão é a “web semântica” – ou, se preferir, a web 3.0.

A principal aplicação da web semântica se refere à capacidade de os sistemas computacionais interpretarem o conteúdo disponível nos sites da internet e conseguir entender de forma diferenciada uma página em que a palavra bala é um doce ou é um projétil de armas. Ou seja, o conteúdo é interpretado de acordo com seu contexto. A forma com o que os sistemas irão executar esse rastreamento e interpretação será com base em mudanças na forma com que as páginas são construídas.

Parece um conceito simples, não? Mas não é tão simples assim. A forma com que essa evolução será conduzida ainda não é totalmente clara, mas é espetacular imaginar esse novo horizonte em nosso dia-a-dia.

Mais que um simples entendimento de palavras soltas – como o exemplo da bala – a web semântica poderá (e deverá) levar em conta cada usuário de forma individual, traçando perfis e procurando entregar ao usuário exatamente aquilo que ele quer, com base no que os sistemas de informação conhecem de seu comportamento.

Um exemplo: Alguém entra em seu mecanismo de busca favorito, procura por hospedagem em Florianópolis. O mecanismo reconhece o usuário, sabe que tem dois filhos pequenos, então irá priorizar no resultado hotéis e pousadas que tenham opções de lazer para crianças.

A web semântica também terá aplicações relacionadas a mídias – publicidade – e serviços. As propagandas apresentadas aos usuários poderão ser direcionadas pela sua localização. Através da integração de sistemas GPS à internet, a propaganda poderá ser direcionada a anunciantes que atendem naquela região. Por exemplo: Você está em casa, e a propaganda da academia do seu bairro aparece quando você está lendo noticias de boa forma em um blog ou site.

Aliás, é importante dizer que a web da qual falo não é apenas esta que acessamos através de um computador – cada vez mais outros equipamentos passam a estar também on-line. Nossos celulares já são minicomputadores portáteis capazes de acessar praticamente todos os serviços na internet. A dimensão da aplicabilidade de uma web totalmente focada no usuário, que leva em consideração fatores como onde o usuário está e o que ele está fazendo (comprando, viajando, andando no parque) é imensa.

Essa nova internet pode não estar tão distante de nós. A compreensão dos profissionais quanto à aplicabilidade das tecnologias para tornar o conteúdo plausível de interpretação por parte dos sistemas está cada vez mais difundida.

Claro que existe um trabalho muito grande para tornar a codificação das páginas acessíveis aos servidores que irão interpretar seus conteúdos e principalmente os serviços que poderão integrar os conteúdos com o perfil de quem os acessa.
Não vou entrar em uma discussão sobre a ética e os limites da nova web com relação a nossa privacidade. Claro que isso deverá ser alvo de muitas discussões e deverão em muitos momentos balizar as decisões de como estas novas tecnologias serão aplicadas.

O que é importante é termos consciência dessa evolução que vem acontecendo diante de nossos olhos e irá causar impacto em nossas vidas em breve.

Trouxe a você apenas a ponta do iceberg, já que esse assunto é longo e existe muito “tecniquês” nele. Não quis também entrar nos detalhes técnicos que possibilitam a web 3.0. Gostou do tema? Tem algo a completar sobre o assunto? Tem dúvidas sobre a web 3.0 ou qualquer outro assunto relacionado a tecnologia? Os comentários estão abertos, deixe sua mensagem!

Por Fernando Panissi

(Via)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...



16 Comentários em “O início da web 3.0?”

  1. Eduardo 9 janeiro 2008 at 12:10 am #
    Nossa senhora! Mal a web 2.0 começou a andar e já estão pensando na web 3.0!
    Ultimamente, nós da área da informatica, sofremos com essas mudanças… É certo que em diversos pontos isso nos ajuda e muito! Mas por conta das adaptações que temos que realizar, torna o trabalho cada vez mais cansativo.
    Fazer o que, né? Esse é mundo digital e temos que acompanha-lo, senão…
  2. Tiago Pimentel 9 janeiro 2008 at 12:53 am #
    Muito interessante e bem explicado.
  3. Marcus VBP 9 janeiro 2008 at 7:34 am #
    web 3.0… isso soa tão idiota quanto “web 2.0″ para vocês também?
  4. Criação de sites 9 janeiro 2008 at 11:21 am #
    É verdade. Todo conteúdo em excesso é dificil de se manipular e isso é a internet. Com a febre dos blogs então a internet se “intupiu” de conteúdo.

    Isso de modo geral creio ser positivo mas excesso de informção também tem seu lado negativo.

    Veja dicas para computador em: http://www.dicasparacomputador.com

  5. Eder Baum 9 janeiro 2008 at 2:40 pm #
    Sinceramente não creio que seja este o conceito de web 3.0, pois já existem ferramentas “semãnticas” por assim dizer com o “Ask.com” e um novo site de busca chamado “PowerSet”.

    Se for assim a Web 3.0 ficaria restrita a grandes companhias, e não é bem por ai que a web evolui.

    A Web 3.0 segundo os analistas predizem é a Web móvel, ou Web dominada pelo celular.
    Isso sim vai trazer um revolução em todos os aspectos, pois teremos em breve banda larga a preços baixos no celular com 3G, e o sistema operacional “Google Android” ou mesmo o OSX (Iphone) rodando nestes aparelhos.

    Em poucos anos, os sites serão mais acessador por navegadores nos celulares do que em telas de 800X600 ou mais.
    Seu site está preparado??

  6. Pedro Bachiega 9 janeiro 2008 at 2:52 pm #
    Parabéns rafael, muito bom seu post.
    A web semântica (ou web 3.0 como queira chamar) está realmente começando a entrar na cabeça das pessoas e a ser criada. O importante agora e todos colocarem na cabeça o valor da semântica das coisas e usarem isso para bem próprio e não começar a tentar se dar bem com isso pensando em como ganhar dinheiro ou coisas do tipo, o que, ao meu ver, aconteceu um pouco com a generalização do conceito sobre web 2.0, mas isto é outro assunto.
    Mais uma vez, parabéns!
    []‘s
  7. David 10 janeiro 2008 at 12:41 pm #
    Parabéns, muito bom o post….
  8. Rodrigo Gregório 17 janeiro 2008 at 8:06 am #
    A “web 3.0″ é a personalização da Internet ,que permiti dados incorporados nos Navegadores ou em Contas de Usuários possam ser manipulados para que encontre-se uma resposta inteligente de serviços On-line.Esse é o futuro imediato da web, porém somente é possível por causa do grande avanço de interatividade nos navegadores “Web 2.0″.
  9. Manoel Jack 18 janeiro 2008 at 5:12 pm #
    Bem amigo acho que esse ainda não é o assunto em si Web 3.0.

    O que aconteceu com a Web 2.0 que ainda está em evolução ?

    Minha pergunta é seguinte aonde entra o XML na web Semantica ?

  10. Wagner 22 janeiro 2009 at 8:03 pm #
    Pessoal;

    Não sei se isso vai funcionar, mas visitei um site interessante onde os caras estão com a ideia de criar um produto feito com açaí, usando o conceito de web 2.0. Vejam o que acham: http://www.youracaiopenproject.com

  11. flloress 29 dezembro 2009 at 2:20 am #
    Muito boa a materia mas acho que isso é para muitos anos ainda
    web 2.0? Achei esse dois sites veja esse site galera
    http://www.historiasobreossitesdebusca.log7.net/
    http://www.reparodemodulobmw.log7.net/
  12. Cristian 29 dezembro 2009 at 2:21 am #
  13. derushi 4 agosto 2010 at 8:38 pm #

Deixe um Comentário